07 março 2007








Conforme foi anunciado neste BLOG, tiveram lugar no dia 03/03/2007 as primeira Jornadas Técnicas de Caça, na Vila do Ferro.


Cerca das 14 horas, iniciou-se a concentração dos caçadores e de outros admiradores da caça e da natureza, oriundos de várias associações da região centro.


Pelas 14h 30m deu-se início ao programa com uma pequena palestra feita por José Maria, prorietário do Canil dos Fortios. De seguida, iniciaram-se as demonstrações de Sto. Huberto, que deliciaram os presentes. O êxito desta acção levou a que muitos dos presentes sugerissem à organização a possibilidade de, numa iniciativa futura, realizar um concurso de Sto. Huberto. Desta forma, haverá a oportunidade da exibição de cães de parar.


Um dos pontos alto do evento foi a reflexão realizada na Casa do Povo sobre os problemas da caça, do caçador e das associações.


O primeiro palestrante foi o eng.º António Borges, da DGRF, que abordou o tema Comportamento Ético e Legal dos caçadores. A sua intervenção suscitou inúmeras intervenções.


Por seu turno, o eng.º Paulo Paixão da FENCAÇA, interveio sobre o Ordenamento e Gestão Cinegética de Zonas de Caça. Os presentes tiveram, então, o ensejo de exporem os seus pontos de vista. Deram, inclusive, a sua colaboração ao falarem de experiências utilizadas nas suas reservas associativas.


A terminar, o enfermeiro Rui Miragaia trouxe-nos a realidade da Zona de Caça a que preside. Expôs um parque de coelhos e abordou os benefícios e dificuldades que, em seu entender pode trazer um parque deste género a uma zona de caça. Este foi um tema que originou muita curiosidade e que espoletou nos presentes algumas opiniões no que diz respeito à sua eficácia.


Entretanto, os representantes da FENCAÇA, (eng.º Paulo Paixão), da DGRF (eng.º António Borges) e o Presidente da Federação das Associações de Caça do distrito de Viseu (dr. Mário Antunes), foram da opinião de que os parques de coelhos eram a melhor forma de repovoamento seguro e eficaz, com coelhos cinegeticamente testados e autóctone.


As jornadas terminaram com um lanche onde os participantes aproveitaram para confraternizar e dar a conhecer de uma forma informal as suas experiências.


22 comentários:

Anónimo disse...

Foi pena , mas este Blog morreu ao nascer. ( Paulo Duarte )

Anónimo disse...

quem to disse que morreu?
esta bibo e bem bibo!

Anónimo disse...

tempo de defeso....

Tó Elias disse...

Assisti no passado domingo no nas instalações muito amávelmente cedidas pelo presidente da Associação à vacina dos canídeos.
Já lá vão os tempos, em que via o Veterinário da Câmara no Cilindro fazer essas vacinas.
Fui ver, para relembrar, mas estava mais curioso em saber como se aplicava nos cães, o tal famoso Chip.
Naquele tempo, vinha um vetrinário já "velhote", com a sua maleta caracteística, sempre acompanhado de um ajudante.
Sim, que era cois trabalhosa e o sr dr. não podia fazer tudo!
Agora, a coisa é mais sofisticada.
Seringas descartáveis, (qual que
ê, no passado, uma seringa e uma agulha dava pra vacinar a cainçada toda!), seringas próprias para aplicação de chips, vários tipos de vacinas, comprimidos para desparasitar, enfim um consultório à maneira.
Tambem o Dr. Brancal fez o favor de demonstrar como funciona o já obrigatório chip, com uma máquina que detecta se o animal o tem aplicado ou não, fazendo na hora a leitura do código de barras, desse micro chip introduzido subcutâneamente na pele do cão.
Dizem, que futuramente a GNR, se fará munir desse aparelho para fiscalizar mais uma "modernice"
Só espero, que como isto anda, não nos preguem com uma coisa destas num braço e assim sermos fiscalizados como os de 4 patas, eheheh
Tambem foi uma maneira de rever alguns amigos caçadores.
Mais 3 mesitos, e vai começar a "faina" das rolas.
Fiquei tambem a saber que num futuro próximo o problema da sede vai ser resolvido.
Afinal ao contrário do que por aqui já foi dito este assunto (blog) não morreu ao nascer
Pelo que me foi dado a saber, a Direcção está a mexer.
Logo que se saiba mais alguma novidade, o administrador deste blog, fará o favor de no-lo transmitir.
Saudações Associativas

Tó Elias disse...

Ouvi este fim de semana passado da boca de um agente de seguros, que os associados das Associativas (passe a redundância) de caça e pesca, por estas serem inscritas na Fencaça, poderão os sócios fazer os seguros de caça muito mais baratos, do que os preços que estão a ser praticados (penso que 18 Euros!)
è que este ano, já recebi o aviso para pagamento de seguro e com as novas "modernices" fixaram a Responsabilidade Civil em 100.000 € e que a partir de Junho terá um acréscimo de 20 €.
Bem, com tudo isto este ano, lá terei que desembolsar a "módica" quantia de 42,61 €.
Alguem que esteja nessas condições, ou será a minha companhia de seguros a fazer esta habilidade?
Já falei com alguns caçadores, e ninguem ainda tinha conhecimento disto.
Mas, voltando ao que me trouxe aqui, alguem da Direcção que saiba, se realmente por serem inscritos na Fencaça, os sócios terão "direito" a realizar esse seguro muito mais barato.
Não sei se terá de ser naquela companhia de seguros (axa) ou se poderá ser noutras.
Há que tentar saber disso, e caso seja verdade, dar a respectiva informação aos sócios.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Amigo A Elias temos andado arredados destas coisas do Blog e só hoje vi o comentário, ou melhor pedido de esclarecimento acerca dos seguros de caça.
A FENCAÇA tem um acordo com a AXA, e basta para tal os associados dirigirem-se a uma agência ou mediador, dizerem a que reserva de caça pertencem, que é associada da FENCAÇA, fazem prova de sócio (cartão de sócio), e escolhem qual o tipo e modalidade de seguro que pretendem.
Terça ou Quarta Feira colocarei neste blog mais esclarecimentos acerca do assunto.
Bom fim de semana.
caçaepesca

Tó Elias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Realmente morreu.
quem é que faz a gestao desta treta?

Anónimo disse...

só acho que a pessoa que deseja a morte do blog não escreva coisas que realmente interessem.
gostava tambem que me informassem se possivel os doc que são necessarios para tirar a carta internacional

A.L.D

danitri disse...

Ainda há caçadores na Vila do Ferro?

Anónimo disse...

com esse nome de "caçador" na verdadeira acepção da palavra há muito poucos.
o que há é muitos prevericadores e gente que não respeita as leis da caça.
depois queixam-se que não há caça...
o clube de caça deveria ter obrigatóriamente um guarda, quue fiscalizase.

danitri disse...

Fiz a pergunata, devido a este blog estar parado, por isso perguntei; ainda há caçadores na Vila do Ferro?

barb michelen disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

Anónimo disse...

Fala-se por aí que a associassão dos caçadores já tem uma cede. é verdade? ninguem sabe explicar.pergunta-se a este e aquele e todos respondem parece que sim que já ouvi falar.
ouve alguma inormassão ao socios disto? nem neste espasso foi comentado isso.
onde e, quanto se paga, custaria muito informar os assossidados?
se há problemas entreguem este tambem ao danitri e ele vai por esta coisa a mecher,,, sele quizer, vá-lá.

Tó Elias disse...

Licenças de Caça através do Multibanco a partir de Junho

A nova modalidade de renovação das licenças de caça através da rede de caixas Multibanco estará disponível a partir de 1 de Junho. A medida, inserida no programa Simplex, vem simplificar o processo anual de licenciamento, realizado até ao momento nos balcões da Direcção-Geral dos Recursos Florestais ou nas Organizações de Caça.






Para o licenciamento nas caixas Multibanco, os caçadores devem estar munidos da sua carta de caçador, do número de contribuinte, sendo possível a emissão imediata de uma licença nacional ou regional.



A apresentação da nova medida de modernização administrativa contou com a presença do Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Jaime Silva, do Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas, Ascenso Simões, da Secretária de Estado da Modernização Administrativa, Maria Manuel Marques, e do presidente da Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS), Vítor Bento.

Tó Elias disse...

Com esta medida, as associativas, vão deixar de poder realizar mais algum dinheiro, que até agora era obtido através da "venda" DAS LICENÇAS.....


isto está mau....

bernard n. shull disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link

Tó Elias disse...

Já estão por aí as fotos do almoço convivio entre caçadores e proprietários.
Caso o Administrador deste blog o queira, pode-s pedir na JF e lançar um post.
Ficaria aqui muito bem.

Tó Elias disse...

Este comentário, embora não dizendo respeito à nossa Associativa do Ferro, é feito aqui, porque não sei se a Associativa de Peraboa tem algum local destes, para se debaterem assuntos, criticar, ou até elogiar, mas a avaliar pelo que se vê por lá, a nivel de instalações/organização, não me parece.
Fica então aqui o comentário:

Encontra-se disponivel um lugar para sócio na Associação de Caçadores de Peraboa, desde o dia 8de Agosto do corrente ano.
A não ser que o motivo de afastamento do sócio nº 17 (que o era desde 1983, e que desde que esta direcção foi eleita, foi sempre tratado de uma maneira discriminatória que nunca se entendeu, (Veja-se a acta - se é que a há - da Assembleia de tomada de posse e de que muitos ainda têm em memória) tenha sido por outro motivo, esse lugar deve estar à disposição de alguem QUE TENHA TERRENOS NESSA FREGUESIA :)
Ou será que era necessário afastar um sócio em detrimento de outro?
Aproveito, para chamar à atenção para que os estatutos - em meu entender - deveriam ser alterados em assembleia, no que se relaciona com esse ponto referente às batidas das raposas.
Então, um sócio que não é residente na freguesia, é obrigado a deslocar-se da sua residência nem que seja no estrangeiro, para vir a uma batida?
Será que esse ponto do estatuto não poderia ser alterado?
Será que quem redigiu esses estatutos não vê que pelo facto de um sócio não ser residente, paga como os outros e que pelo facto de viver longe, até caça menos que os outros?
Imaginam um emigrante em França, ter de se deslocar à sua terrinha, para participar uma batida às raposas... para não ficar sujeito a uma coima.
Não se trata, efectivamente do valor dessa coima, pois quem paga o que paga para caçar ums ou duas vezes por época venatória, não é por esse valor, mas sim pela lei em causa.
Como eu, foram "sancionados" mais alguns sócios. Vamos lá ver, se essas coimas não foram "para inglês ver"
Deverão constar no relatório de contas esses valores.
Alguem se encarregará de verificar.
É a meu ver uma lei ou lá o que seja, muito mal pensada.
Tambem na nossa Associativa me parece que essa lei está em vigor.
Numa Assembleia, poderemos discutir e votar esse ponto
Saudações

Tó Elias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tó Elias disse...

Como é do conhecimento de todos os Associados, o Presidente João Freire, decidiu pedir a demissão.
Para o dia 26 deste mês, está agendada uma assembleia, para eleger nova direcção.
Em minha opinião, estas reuniões deveriam ser agendadas para 6ªs feiras ou sábados à noite, pois segundo me parece, haveria mais possibilidades de reunir maior número de associados, mas claro é uma opinião e vale o que vale.
Há que enaltecer o trabalho feito pelo presidente demissionário.
Não podemos esquecer que foi ele, embora com a ajuda da restante direcção que arcou com a maior parte das responsabilidades.
Quem não se lembra de todas as dificuldades em constituir a nossa Associação. Acompanhei, (embora a maoir parte das vezes á distância) todas essas dificulades.
Só graças ao empenho do João Freire foi possivel criar a nossa Associativa.
Claro que, quem está à frente de uma associação não poderá nunca agradar a "gregos e troianos".
Sei tanmbem, que em prejuízo próprio, em prol da Associativa, o João Freire, tentou sempre o melhor para ela.
Quantas. mas quantas vezes (e isso eu sei)deixou os seus afazeres para tratar de assuntos da Associação?
Lembro todos os passos dados na constituição da nossa associativa. Foram tempos dificies e quer queiramos quer não, ele e a sua equipa levaram a bom porto tal missão.
Por vezes, as decisões tomadas, podem não agradar a todos, mas têm de ser tomadas, para que as coisas funcionem.
É um ciclo que acaba, mas tem de haver continuidade.
Claro que quero aqui tambem enaltecer todo o trabalho da equipa (Direcção) que acompanhou o presidente, bem como a muitos que na hora de ajudar, muito bem o fizeram.
Pelo que julgo saber, há já uma lista que se vai propor a tomar conta da Associativa. Ainda bem. é sinal que há gente interessada dar continuidade a esta Associativa.
Assim termino, deixando uma palavra de agradecimento ao nosso amigo João Freire, pelo trabalho realizado nestes mandatos.
Bem haja!

Tó Elias disse...

À Direcção agora empossada, os meus sinceros parabens.
Contamos convosco para a manutenção da nossa Associativa
Força!